quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Janelas da Vida


Janelas Da Vida... - Presentation Transcript


  1. Janelas da vida.... Autora Lady Foppa Abra a janela do teu coração e deixe a alma arejar! Sabe aquele cheiro de mofo de sonhos que envelheceu e você nem se deu conta? Deixe que o vento leve para longe...
  2. Livre-se, também, do ranço amargo de toda mágoa e rancor, faça uma boa limpeza na vidraça da janela do coração, garanto que você enxergará melhor a vida lá fora...
  3. Deixe a luz inundar tudo, apagar as marcas das decepções, as tristezas das derrotas, o vicio de sofrer por sofrer e acima de tudo, permita que o sol derreta o gelo da solidão...
  4. Apaixone- se por um sorriso e sorria junto, ilumine as janelinhas dos olhos, atraia beija-flores, borboletas, vaga-lumes, ame a pessoa que o espelho reflete todas as manhãs...
  5. Escancare a janela dos desejos e esbanje sonhos, ninguém sonha em vão, e também não é verdade que os sonhos fogem, as pessoas é que desistem, e eles morrem...
  6. Alicerce seus desejos com bases sólidas e construa dia a dia degraus para você chegar até a sua meta, depois se aplauda, porque você conseguiu! Nisso reside o prazer...
  7. Não permita que nenhuma sombra pesada amortalhe o sol, que nenhuma parede aprisione o vento e cale o som da vida. Jamais se transforme em órfão da luz...
  8. Desenhe um horizonte além da tua janela, exagere nas cores e entremeie alegria entre folhas. Floresça todos os campos que tua vista alcança e depois, vá além muito além....
  9. Exponha na janela toda a alegria de viver, mostre ao mundo um rosto luminoso, uma face sem rugas de preocupações, prontinha para ser acariciada, admirada e beijada...
  10. Amplie a essência da ternura, semeia a brisa um gesto, uma frase doce ou um suspiro. Seguramente alguma alma comovida escutará e devolverá o eco da tua voz...
  11. Desvia teu olhar das coisas tristes e infelizes, transforme em oásis toda aridez que aparecer, jorre venturas e aventuras em abundancia, através da tua janela....
  12. Espalhe poeira dourada de sonhos além da janela, plante flores, colha encantamento. Permita que as sementes da felicidade se espalhem e contamine toda a terra...
  13. Refaça suas crenças, redima equívocos, culpas, regenere erros e falhas, distribua perdão. Valorize o melhor de cada pessoa e principalmente o melhor que existe em você....
  14. Abra a janela da vida e seja pleno em cada coisa ainda que pareça pequena. Viva na forma adulta de ser criança, debruce na janela e não olhe a vida passar através dela... Viva! [email_address] Música: SAIR Lefi my heart in san francisco (Tony Bennet
♥♥

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Esclarecendo Espiritismo


Esclarecendo Espiritismo

Recebi este texto por e-mail e achei mesmo muito esclarecedor

O texto é longo, mas vale a pena ler até o final.


"A gente não faz amigos, reconhece-os."
(Vinícius de Morais)



Partindo do princípio que o objetivo de todo jornalista ético e sensato é o de informar bem, com coerência, honestidade, dignidade e imparcialidade, preocupando-se sempre com o indispensável conhecimento da causa que leva a reportar, venho apresentar-lhes uma contribuição em cima de um assunto que muitos profissionais do jornalismo, embora bem intencionados, terminam cometendo equívocos lamentáveis, por uma inexplicável ignorância que compromete os seus nomes bem como o dos veículos por onde vinculam as suas matérias ou reportagens.

Falo com respeito ao assunto Espiritismo, tema este que invariavelmente é visto apenas no campo religioso, o que na verdade não é, e sobretudo, o que é mais lamentável, sempre enfocado com afirmativas de conceitos absurdos, oriundos do "achismo" e também de uma cultura criada na cabeça das pessoas, pela intolerância e a desonestidade religiosa.

Não objetivo aqui defender crença ou fé nenhuma, porque não é isto que está em questão. Só quero mesmo prestar contribuição ao gigantesco segmento honesto do jornalismo acerca de uma coisa, como ela realmente é, para que ele esteja melhor informado, sem a menor pretensão de querer fazer com que nenhum profissional o aceite, concorde com os seus postulados e, muito menos, se converta.

Vamos aos assuntos:

Espiritismo não é igreja

Em princípio corrijam a conceituação inicial: Espiritismo não é simplesmente religião. Ele não veio ao mundo com objetivo nenhum de ser religião. Trata-se de uma doutrina filosófica, com base calcada na racionalidade, na lógica e na razão, apenas com conseqüências religiosas, haja vista que os seus adeptos ficam livres da submissão a qualquer religião, por não serem obrigados a coisa nenhuma e nem serem proibidos de nada. Há centros espíritas que se portam como se fossem igrejas, mas isto é produto da concepção equivocada dos seus dirigentes, que ainda sentem a necessidade da rezação, em que pese o Espiritismo ser algo muito acima disto.

Não existe "Kardecismo", existe "Espiritismo"

O jornalista equivocado costuma utilizar-se da expressão "kardecismo", para identificar algo que ele imagina ser uma "ramificação" do Espiritismo, achando que Espiritismo é um "montão de coisas" que existe por aí, quando na realidade não é.

A palavra "Espiritismo" foi criada, ou inventada, como queiram, pelo senhor Allan Kardec, exclusivamente, para denominar a doutrina nova que foi trazida ao mundo, por iniciativa de Espíritos, e que tem os seus postulados próprios.

Portanto, qualquer crença ou prática religiosa que utiliza-se da denominação "Espiritismo", fora desta que se enquadre nos seus postulados, está utilizando-se indevidamente de uma denominação, mergulhando no campo da fraude. Daí a verdade que o nome disto que vocês chamam de "kardecismo", verdadeiramente é "Espiritismo".
Apenas para clarear o campo de conhecimento dos que ainda têm dúvidas, em achar que Candomblé, Cartomancia, Necromancia, Umbanda e outras práticas espiritualistas é Espiritismo, vai aqui uma pequena tabela, exemplificando algumas práticas de alguns segmentos, para apreciação daqueles que consideram relevante o uso da inteligência e do bom senso, a fim de um discernimento mais coerente e responsável. Veja quem adota e quem não adota o quê.

Procedimento, prática ou ritual

Umbanda

Catolicismo

Espiritismo

1. Uso de altares

Sim

Sim

Não

2. Uso de imagens

Sim

Sim

Não

3. Uso de velas

Sim

Sim

Não

4. Uso de incensos e defumações

Sim

Sim

Não

5. Vestimentas e paramentos especiais

Sim

Sim

Não

6. Obrigações aos seus praticantes

Sim

Sim

Não

7. Proibições aos seus praticantes

Sim

Sim

Não

8. Ajoelhar-se, sentar-se e levantar-se em seus cultos

Sim

Sim

Não

9. Bebidas alcoólicas em seus cultos

Sim

Sim

Não

10. Sacerdócio organizado

Sim

Sim

Não

11. Sacramentos

Sim

Sim

Não

12. Casamento religioso e batizados

Sim

Sim

Não

13. Amuletos, patuás, escapulários e penduricalhos

Sim

Sim

Não

14. Hinos e cantarolas nos cultos

Sim

Sim

Não

15. Crença na existência de satanás

Sim

Sim

Não


Como pode, então, um profissional que tem a obrigação de estar bem informado, poder afirmar que Espiritismo e Umbanda são a mesma coisa? Não seria mais coerente dizer que tem mais semelhanças com o Catolicismo, embora não seja também a mesma coisa?

O espírita não tem a menor pretensão de diminuir ou desvalorizar o adepto da Umbanda que, por sua vez, tem também a sua denominação própria que é Umbanda, e não Espiritismo, apenas quer deixar claro que Espiritismo é Espiritismo e Umbanda é Umbanda, assim como Catolicismo é Catolicismo, Protestantismo é Protestantismo.

A afirmativa que alguns fazem, em dizer que tudo é a mesma coisa, com a diferença de que na Umbanda se reúnem negros e pobres e no tal "Kardecismo" se reúnem o que chamam de elites, é extremamente leviana, desonesta e irresponsável. O Espiritismo não faz qualquer discriminação de raças, cor ou padrão social, já que em seu movimento existem inúmeros negros, mulatos, brancos e de todas as etnias.

Allan Kardec não inventou o Espiritismo

Allan Kardec não inventou, ou criou, Espiritismo nenhum. A proposta veio de Espíritos, através de manifestações espontâneas, consideradas como fenômenos, na época, e ele, que nada tinha a ver com aquilo, foi convidado por alguns amigos para examinar e analisar os tais fenômenos, em suas casas, oportunidade em que foi convidado, pelos Espíritos, pela sua condição de pedagogo e educador criterioso, a organizar aqueles ensinamentos em livros e disponibilizar para a humanidade.

Ele foi tão honesto e consciente de que a obra não era de sua autoria, que evitou colocar o seu nome famoso na Europa antiga (Denizard Rivail) como autor dos livros e preferiu utilizar-se de um pseudônimo. É bom que se saiba que o tal professor Rivail era autor famoso de livros didáticos e que tudo o que aparecia com seu nome vendia muito, não apenas na França como em toda a Europa.

Atentem para o detalhe: Os Espíritos optaram por um pedagogo, um professor, e não por um padre, um religioso, o que nos convida a entender que o Espiritismo é escola e não igreja.

Sobre a reencarnação

Não é patrimônio exclusivo do Espiritismo e não foi inventada pelo Espiritismo, posto que é algo conhecido pela maior parte da humanidade, por milênios, muito antes do Espiritismo, que tem apenas 151 anos de idade.

O espírita, depois de estudar a reencarnação, não crê na reencarnação, ele passa a SABER a reencarnação, o que é diferente. Exemplificando: Você crê que a Lua existe ou você sabe que ela existe? Afinal, você pode vê-la e comprovar, inclusive cientificamente? É isto aí.

Portanto a afirmativa de que os espíritas crêem na reencarnação é infantil e sem sentido.

Sobre a mediunidade

Também não é patrimônio exclusivo e nem foi inventada pelo Espiritismo. É uma faculdade humana normal e independe de crença religiosa, já que a pessoa pode possuí-la, com maior ou menor intensidade, acredite ou não. O Espiritismo apenas se dispõe a estudá-la, educar e disciplinar as pessoas que a possuem, para que o seu uso possa ser benéfico a elas e aos outros, absolutamente dentro dos elementares padrões de moralidade. Segundo os postulados espíritas ela não deve ser comercializada, nunca, e deve ser utilizada gratuitamente; todavia é praticada comercialmente em alguns lugares do mundo, por pessoas que são médiuns, inclusive honestas, mas nada sabem sobre Espiritismo, numa comprovação de que ela existe fora do meio espírita.

Qualquer afirmativa do tipo que "alguém tem mediunidade e precisa desenvolver" é vinda de pessoas inconseqüentes, mesmo algumas que se auto rotulam espíritas, posto que o Espiritismo propõe que a faculdade deve ser educada e não desenvolvida.

Sobre o caráter do centro espírita

É um local que deve atuar como escola e não como igreja. A sua proposta é de estudos, sobretudo da matéria que trata da reforma íntima das pessoas, dando ciência do papel de cada um de nós na terra, da nossa razão de existir enquanto criaturas úteis ao nosso próximo, esclarecimento da nossa condição espiritual no presente e no futuro e, principalmente, a nossa conduta moral.

Recomenda a prática da Caridade, sim, mas de forma ampla no sentido de orientar e informar aos outros sobre os meios de libertações dos conflitos, das amarguras, das incompreensões e do sofrimento em si e não esse entendimento estreito de que Caridade se resume apenas a dar prato de sopa ou roupas usadas para pobres, para qualificar o doador como bonzinho.

Adota Jesus, sim, inclusive como o maior modelo e guia que temos para seguir, concebendo o seu Evangelho como a bula coerente a nos conduzir, e não como sendo ele o próprio Deus.

Enfim. O centro espírita é um local de estudo e não de rezação.

Sobre quem é reencarnação de quem

Recentemente vimos um jornalista afirmar, nas páginas da VEJA, que os espíritas juram que Fulano é reencarnação de Ciclano, o que se constitui em um absurdo. Em princípio espírita não adota jura nenhuma. Segundo, que não consta da atividade espírita a preocupação de quem é reencarnação de quem, uma vez que esta discussão é irrelevante, não tem razão nenhuma, não acrescenta absolutamente nada na proposta espírita para a criatura humana, em que pese alguns espíritas, apenas alguns, (nem todos entendem bem a proposta da doutrina) se ocuparem com esse tipo de discussão.

Falar em quem é ou talvez possa ser reencarnação de quem, é conversa amena de momentos de descontração de espíritas, apenas em nível de curiosidade ou especulação, jamais tema de estudo sério da casa espírita.

Ainda que possa existir, em alguns locais de estudos mais profundos e pesquisas espíritas, interesses em trabalhar as questões da reencarnação, os estudiosos apenas sugerem que fulano possa ser a reencarnação de alguém, mas nunca afirmam, apesar de evidências marcantes e inquestionáveis, quando a condução da pesquisa é séria e criteriosa.

Quem anda dizendo que é a reencarnação de reis, de rainhas e de personagens poderosas do passado não são os espíritas, são apenas alguns bobos que estão no Espiritismo sem consciência do seu papel.

Apologia ao sofrimento

Matérias de revistas e jornais, dentro deste equívoco que nos referimos, chegaram a afirmar, diversas vezes, que o Espiritismo ensina as pessoas a serem acomodadas em relação ao sofrimento e até chegarem a dizer que o sofrimento é bom.

Não condiz com o coerente ensinamento do Espiritismo. Se algum espírita chega a dizer isto, certamente é vítima do masoquismo e, provavelmente, deve praticar um ritual em sua casa, quando, talvez uma vez por semana, colocar a mão sobre uma mesa e dar uma martelada em seu dedo.

Sofrimento não é condição fundamental para a evolução de ninguém, embora entendemos que, ao passar por ele, muitas pessoas terminam acordando para a realidade da vida e mudando de conduta, sobretudo no campo do orgulho, do egoísmo e da presunção.

Mesa branca

Não existe espiritismo mesa branca, alto espiritismo, baixo espiritismo ou qualquer ramificação do Espiritismo, que é um só.

O hábito de forrar mesas com toalhas de cor branca, na maioria dos centros espíritas, nada mais é que um hábito de alguns espíritas, de certa forma até equivocados também, uns talvez achando que a cor branca da toalha ou das roupas das pessoas tem algum significado virtuoso, quando na verdade não existe esta orientação no Espiritismo.

Muito pelo contrário, seria preferível utilizar toalhas (por que tem sempre que ter toalhas nas mesas?) de outras cores, posto que tecidos em cor branca tem maior facilidade de sujar.

Portanto a citação de "espiritismo mesa branca" é mais uma expressão da ignorância popular, o que não se admite nos jornalistas.

Terapia de vidas passadas

Não é procedimento espírita, em que pese ser recomendável em alguns casos, porém em consultórios de profissionais especializados, geralmente psicólogos ou médicos. É fato, existe, é comprovado, tem resultados cientificamente respaldados, mas não é prática espírita.

Cromoterapia, piramidologia, etc...

Se alguém usa uma dessas práticas no espaço físico de uma casa espírita, é por pura deliberação da direção da casa, que se considera livre para fazer o que quiser, até mesmo dar aulas de arte culinária, corte e costura, curso de inglês, informática ou o que quiser, que são atividades úteis, sem dúvidas. Mas não tem a ver diretamente com o Espiritismo.

Sucessor de Chico Xavier

Isto nunca existiu no Espiritismo, em que pese vários jornalistas terem colocado em matérias diversas, quando o Chico Xavier "morreu", e ainda repetem, talvez querendo estabelecer alguma comparação do Espiritismo (que vêem apenas como religião) com a Igreja Católica, que tem sucessores dos papas, quando morrem. Chico Xavier nunca foi uma espécie de papa, de cardeal ou de qualquer autoridade eclesiástica dentro do movimento espírita.

Divaldo Pereira Franco nunca foi sucessor do Chico, nunca teve essa pretensão, ninguém no movimento espírita fala nisto, que é coisa apenas de páginas de revistas desinformadas sobre o que verdadeiramente é o Espiritismo.

A sua relação com a Ciência

Faz parte da formação espírita a seguinte recomendação:

"Se algum dia a Ciência comprovar que o Espiritismo está errado em algum ponto, cumpre aos espíritas abandonarem imediatamente o ponto equivocado e seguirem a orientação da Ciência".

Mas isto não quer dizer que o que afirma determinadas criaturas, como o padre Quevedo, que se apresenta presunçosamente como cientista, deva ser entendido como Ciência, já que ele não é unanimidade e nem ao menos aceito pela maioria dos cientistas coisa nenhuma. Ele é padre, nada mais do que padre, com um tipo de postura que não é aceita nem pela maioria do seio católico, quanto mais pelo científico. Não é à pseudo-ciência ou a opiniões pessoais de um ou outro elemento, que se diz de Ciência, que o Espiritismo se submete, com esta recomendação, é a Ciência, como um todo, em descobertas inquestionáveis.

Até agora a Ciência não conseguiu apontar e muito menos comprovar erro em um ensinamento espírita, sequer. Se alguém exige, por exemplo, querer provas por parte dos que afirmam que existe vida fora da Terra, por questão de bom senso deve ter também provas de que não existe. Será que tem?

Medicina e Espiritualidade

Alguns médicos, tradicionalmente, sempre afirmaram que os problemas de saúde das pessoas nada tem a ver com problemas espirituais, porque estes se resumem a crendices. Hoje existe um curso de "Medicina e Espiritualidade", oficial, dentro da USP (Universidade de São Paulo), a maior Universidade do País, onde são estudados estes questionamentos que alguns continuam a dizer que são crendices.

Como informação, sugerimos que os jornalistas se interessem em reportar sobre este assunto, sem que vá aqui a menor intenção de querer converter ninguém. Não se trata de questão religiosa, trata-se de questão científica. Para melhor informação, as aulas deste curso podem ser vistas no site: Rede Visão. O telefone da Pineal Mind, onde são ministradas as aulas, é (11) 3209-5531 / (11) 3209-5531 e o e-mail é faleconosco@uniespirito.com.br, onde poderão ser obtidas maiores informações sobre o curso. Toda sexta-feira, às 19 horas, tem aula ao vivo, pelo site, numa webtv.

Diante de todo o exposto sugerimos que os grandes veículos de comunicação de massa, obviamente comprometidos com a credibilidade dos seus nomes, repassem estes esclarecimentos aos seus profissionais de jornalismo, não necessariamente para que eles sejam simpáticos à idéia espírita, já que ninguém é obrigado a aceitar coisa nenhuma, mas para, pelo menos, não comprometerem as suas honorabilidades dizendo mentiras, leviandades e até se expondo ao ridículo reportando sobre um assunto que não entendem.


"Quando não puder mais acreditar nos seus sonhos, acredite no seu coração"

♥♥

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Bodas de Casamento

Hoje estou completando 26 anos de casamento, designada como
Bodas de Alexandrita.

Procurei pela internet para saber mais sobre esse assunto e também qual seria o material ou pedra indicada para os 26 anos de casamento, e encontrei várias listas mas achei uma que além de indicar as pedras também sugere flores e presentes apropriados para cada ano. (leia abaixo)


Todas as datas e aniversários são importantes para os casais felizes. Mas enquanto as comemorações dos primeiros aniversários de casamento passam-se na intimidade, em geral as bodas maiores assumem um caráter eminentemente social. É quando a comemoração exige maior brilho e maior destaque. Em geral, não só a família, mas todos os amigos são convocados para participar do acontecimento.

Boda (pronuncia-se "bôda") é a festa que celebra o aniversário de casamento. No Brasil. é costume dizer Bodas, no plural. As bodas de prata (vinte e cinco anos de casamento) e de ouro (cinqüenta) são as mais conhecidas e comemoradas.


Poucas pessoas conhecem a origem etimológica da palavra boda. Ela provém da palavra latina votum, que significa promessa. Desta forma, quando se diz "minha boda" estamos dizendo "minha promessa".


De acordo com o seu significado religioso, sem dúvida é a promessa por excelência, que um homem e uma mulher podem fazer diante de Deus, realizando seu compromisso de esposo e esposa diante de um altar consagrado. Uma promessa para toda a vida, e esse é o ditame de seu ritual.


É tradicional, na cultura ocidental, se comemorar com bodas os eventos relativos ao casamento, e com o jubileu, outros fatos marcantes da vida social. Para marcar cada um desses eventos se associa a cada data das bodas algum material que o represente. Por exemplo:


OURO: O ouro fascina a humanidade desde a sua descoberta. De todos os metais, apenas ele reúne beleza, brilho, virtual indestrutibilidade e maleabilidade.


DIAMANTE: Da palavra grega "adamas" que significa força e eternidade do amor surgiu a denominação diamante.


Bodas indicadas para cada ano e sugestões de presente


1º ano - Bodas de Algodão – flor: violeta, pedra: pérolas de água doce
2º ano - Bodas de Papel – flor: cosmos, pedra: quartzo rosa ou granada
3º ano - Bodas de Couro – flor: fúcsia, pedra: cristal
4º ano - Bodas de Flores - flor: gerânio, pedra: ametista ou topázio
5º ano - Bodas de Madeira – flor: margarida, pedra: turquesa
6º ano - Bodas de Ferro – flor: calla lilly, pedra: jade
7º ano - Bodas de Cobre – flor: nabo selvagem, pedra: lápis lazuli e onix
8º ano - Bodas de Bronze – flor: clematis, pedra: aventurine ou turmalina multicolorida
9º ano - Bodas de Cerâmica – flor: papoula, pedra: lápis lazuli ou olho de tigre

10º ano - Bodas de Estanho – flor: narciso, pedra: ônix
11º ano - Bodas de Topázio – flor: ipoméia , pedra: hematita e turquesa
12º ano - Bodas de Ônix – flor: peônia, pedra: ágata
13º ano - Bodas de Renda – flor: malva rosa, pedra: citrino, malaquita e pedra da lua
14º ano - Bodas de Quartzo – flor: dalia , pedra: agata
15º ano - Bodas de Cristal – flor: rosa, pedra: sem pedras
16º ano - Bodas de Turmalina
17º ano - Bodas de Âmbar
18º ano - Bodas de Ágata
19º ano - Bodas de Água Marinha
20º ano - Bodas de Porcelana – flor: lírio, pedra: esmeralda
21º ano - Boda de Zircão
22º ano - Bodas de Louça
23º ano - Bodas de Marfim
24º ano - Bodas de Turquesa

25º ano - Bodas de Prata – flor: Iris, pedra: prata de lei sem pedra

26º ano - Bodas de Alexandrita
27º ano - Bodas de Crisoprásio
28º ano - Bodas de Hematita
29º ano - Bodas de Lã
30º ano - Bodas de Pérola – flor: ervilha-de-cheiro, pedra: diamante
31º ano - Bodas de Nácar
32º ano - Bodas de Pinho
33º ano - Bodas de Crisoberilo
34º ano - Bodas de Oliveira
35º ano - Bodas de Coral – flor: nenhuma especifica, pedra: coral
36º ano - Bodas de Cedro
37º ano - Bodas de Aventurino
38º ano - Bodas de Carvalho
39º ano - Bodas de Mámore
40º ano - Bodas de Rubi – flor: nastúrcio, pedra: rubi

41º ano - Bodas de Topázio
42º ano - Bodas de Linho
43º ano - Bodas de Azeviche
44º ano - Bodas de Carbonato
45º ano - Bodas de Safira –flor: nenhuma especifica, pedra: safira e alexandrita
46º ano - Bodas de Abasto
47º ano - Bodas de Jaspe
48º ano - Bodas de Granito
49º ano - Bodas de Heliotrópio

50º ano - Bodas de Ouro – flor: violeta, pedras: nenhuma especifica

51º ano - Bodas de Ametista
52º ano - Bodas de Argila
53º ano - Bodas de Amazonita
54º ano - Bodas de Níquel
55º ano - Bodas de Esmeralda – flor: nenhuma especifica,
pedra: alexandrita e esmeralda

56º ano - Bodas de Malaquita
57º ano - Bodas de Lápis Lazuli
58º ano - Bodas de Vidro
59º ano - Bodas de Jade
60º ano - Bodas de DIAMANTE – flor: nenhuma especifica, pedra: diamante

70º ano – Platina – flor: nenhuma especifica, pedra: platina sem pedras

80º ano – Bodas de Carvalho


Ver também a designação para cada ano em uma lista até o centésimo ano de bodas no Wikipedia

♥♥

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Limpar a casa sem poluir o planeta


Limpar a casa sem poluir o planeta

Produtos de Limpeza: o desafio de limpar a casa sem poluir o planeta

O acúmulo das substâncias dos produtos de limpeza nos rios, lagos e praias, que recebem esgotos, pode prejudicar a vida das plantas e animais que vivem nestes locais. A espuma branca (”cisne-de-detergente”) reduz a penetração do oxigênio do ar na água, diminuindo assim o oxigênio disponível na água para respiração desses seres. Os fosfatos também favorecem a multiplicação de algas vermelhas, que em excesso também prejudicam a oxigenação da água (processo chamado de eutrofização das águas).

A poluição das águas nos rios, lagos, mares e oceanos ocorre também pela reação química resultante da soma dos inúmeros produtos de limpeza que usamos em nossas residências: detergentes, sabão em pó, amaciante, sabonetes, shampoos, cremes dentais, desinfetantes, limpa-vidros, água sanitária ( com 2% de cloro ativo), amoníaco, entre outros. Essa combinação potencializa os impactos sobre a qualidade das águas, sobre a fauna e flora dos ecossistemas, assim como aumenta o perigo para as populações que consumirem estas águas ou se alimentarem desses animais aquáticos posteriormente.

O potencial que os produtos de limpeza sintéticos possuem para causar danos à saúde humana e ao meio ambiente é grande. Por essa razão devem ser usados de forma moderada, cuidadosa e, quando possível, substituídos por outros métodos e produtos menos agressivos aos ecossistemas. Além de optarmos por produtos ecológicos, podemos também tomar pequenas providências no dia-a-dia para diminuir o impacto ambiental dos produtos de limpeza convencionais. Apresentamos, abaixo, algumas sugestões.

Como fazer para diminuir o impacto ambiental na limpeza doméstica

Varrer a sujeira com vassouras, uso do aspirador de pó e do pano de pó. Eles diminuem a necessidade do uso de produtos químicos fortes.

Evitar adquirir produtos em cuja fórmula constem componentes como cloro, formaldeído e solventes. É importante não comprar produtos clandestinos, sem embalagem própria ou rótulo que descreva os conteúdos químicos e indique o fabricante, orienta a Organização Não Governamental Greenpeace .

Resgatar o hábito do uso da água quente combinada com sabão para desinfetar ambientes. Os modernos vaporizadores, nada mais são do que uma sofisticação tecnológica dessa antiga e eficiente prática de limpeza.

Buscar alternativas para limpeza com produtos caseiros e igualmente eficientes:

Use vinagre branco e água na mesma proporção, para limpar vidros, azulejos, vasos sanitários e espelhos, não há nada melhor.

O Bicarbonato de Sódio serve para limpar pias, bidês e vasos sanitários em banheiros. Também substitui o cloro na remoção de limo. Basta deixá-lo agir por uma hora e depois retirar o limo com uma mistura de suco de limão e sal.

Para reaproveitar pedaços de sabões velhos, siga os seguintes passos:

a) Misture os pedaços de sabões com um punhado de açúcar e vinagre.

b) Derreta em banho-maria, misturando bem.

c) Coloque num vasilhame e deixe endurecer por dois dias.

Procurar conhecer e testar os produtos de limpeza ecológicos que existem no mercado. Dar preferência aos produtos que tenham selo de certificação. Isso significa que a empresa passou por uma auditoria sobre os processos e matérias-primas utilizadas.

Outras dicas:

Para limpeza de forno você não precisa de nada mais que água quente, bicarbonato de sódio e palha de aço.

E se você quer realmente purificar o ar use somente uma mistura de ervas com suco de limão ou vinagre.

Também tire o pó das lâmpadas. Por incrível que pareça, lâmpadas empoeiradas gastam mais energia.

Na cozinha, utilize panos ao invés de toalhas de papel. São laváveis e reutilizáveis.

SÃO DICAS PRÁTICAS E ECONÔMICAS PARA AJUDAR O NOSSO PLANETA!

♥♥

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Primavera

Começa hoje a Primavera no Hemisfério Sul. É o Equinócio de Setembro

Exatamente às 18h18 desta terça-feira começa a primavera

em todo o hemisfério sul.

Primavera, a estação do ano que, no hemisfério sul, começa no dia 22 de Setembro e se prolonga até 21 de Dezembro quando tem início o Verão

Primavera, do Latim (primo + ver = o primeiro Verão)

A palavra Verão provém do latim vernum, com o significado de “tempo primaveril”, derivado de ver, veris, que significava Primavera. A expressãoprimo ver (que originou o termo Primavera) aplicava-se apenas ao começo da estação: primo + ver = o primeiro Verão (= actual Primavera), o princípio do Verão (= Primavera).

Antigamente, a palavra Verão designava, portanto, o período correspondente à actual estação da Primavera. Tal aparece documentado, por exemplo, em Gil Vicente, Obras Várias («... como vemos que contra a formosura do Verão, o fogo do Estio; e contra a vaidade humana, a esperança da morte...»).

Ao Verão (ou seja, à Primavera actual), seguia-se o Estio (em latim,aestas). Hoje as palavras Verão e Estio são sinónimas, referindo a estação que começa a 21 de Junho e termina a 23 de Setembro, e a palavraPrimavera passou a designar toda a primeira estação do ano, e não apenas o seu início.

A palavra Outono provém do latim autumnum, com o mesmo sentido.

Quanto ao termo Inverno, do latim hibernus annus, pertence à mesma família de “hibernar”, verbo que significa passar o Inverno em hibernação, ou seja, num estado de entorpecimento ou letargo em que o metabolismo diminui e são utilizadas as reservas alimentares que o corpo possui.

No século XVI, em Portugal, havia, assim, as seguintes designações:Primavera (início da Primavera), Verão (Primavera propriamente dita),Estio (Verão), Outono e Inverno.

As estações do ano são delimitadas pelos equinócios e solstício.

Chama-se equinócio a cada uma das duas conjunturas do ano em que o dia é igual à noite em toda a Terra, o que se dá no momento em que o Sol atravessa o equador (linha imaginária do equador projetada na abóbada do céu). O momento tem significado especial, pois marca o início da primavera no hemisfério sul e início do outono no hemisfério norte. No hemisfério sul (22 de Setembro, equinócio da Primavera ou ponto Vernal, e 20 de Março, equinócio do Outono). A palavra equinócio provém do latim aequinoctium, termo constituído pelo radical aequi (igual) e a palavranoctium (noite). Em português, o radical equi- aparece em palavras que contêm essa ideia de igualdade, como, por exemplo, equilátero (com os lados iguais), equiparar (igualar por comparação) ou equivalente (que tem valor igual).

O solstício é a designação de cada um dos dois momentos em que o Sol está a maior distância do equador, ou seja, o solstício de Verão, dias do ano em que há mais horas de sol: 21 de Junho (hemisfério norte) e 21 de Dezembro (hemisfério sul), e o solstício de Inverno, dia de menos horas de sol: 21 de Dezembro (hemisfério norte) e 21 de Junho (hemisfério sul). Ciberdúvidas

♥♥

sábado, 19 de setembro de 2009

Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias



Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias
19 de Setembro de 2009

O Dia Mundial de Limpeza de Rios e Praias é um programa internacional de educação ambiental, que mobiliza milhares de pessoas em todo o planeta.

O evento, que ocorre no terceiro sábado de setembro (dia 19), é coordenado mundialmente pelo Center for Marine Conservation (CMC), com sede em Washington, nos EUA, com apoio da Coca Cola. Cerca de cem países, signatários do Tratado Internacional de Controle da Poluição Marinha fazem parte desse acordo, incluindo o Brasil. É uma iniciativa sem fins lucrativos que tem como principal objetivo conscientizar as pessoas sobre um grande problema do mundo moderno: o lixo no mar. Toneladas de detritos são despejadas no mar todos os dias, nos quatro cantos do mundo. Além de causar danos graves e a morte de milhares de animais marinhos, estes detritos sujam as praias e são um risco para a saúde das pessoas.

Os relatórios do lixo coletado seguem para a coordenação nacional, documentados por fotos e as coordenações de cada país enviam para a coordenação internacional, que adota medidas para minimizar os impactos dos resíduos sólidos no ecossistema marinho.

Hoje, a corrente dos voluntários inclui estudantes, ambientalistas, escoteiros, esportistas, mergulhadores, empresários, ONG’S, Exército, Marinha, Rotarianos, Órgãos Ambientais do Estado, Igrejas, Clubes Náuticos, Universidades, Projeto RENASCER da Unidos da Viradouro, Projeto Grael, Projeto Fernanda Keller, Portadores de Necessidades Especiais, entre outros.



Expedição no Rio Tiête com Dan Robson.

A rede Globo junto com o I.P.T. criaram o flutuador que em tempo real vem passando informações de oxigenação e temperatura ao longo de 500km do rio.
Mais detalhes das aventuras de Dan Robson no Website www.dan.com.br




♥♥

HOME